sexta-feira, 12 de março de 2010

RESUMO DE LIVROS - VYGOTSKY, Lev. A formação Social da Mente

VYGOTSKY, Lev. A formação Social da Mente. São Paulo: Martins Fontes, 1984.

No livro Formação Social da Mente – Vygotsky tem por objetivo caracterizar os aspectos tipicamente humanos do comportamento e elaborar hipóteses de como essas características se desenvolveram durante a vida do indivíduo e enfatiza três aspectos:
• Relação entre seres humanos e o seu ambiente físico e social.
• Novas formas de atividade que fizeram com que o trabalho fosse o meio fundamental de relacionamentos entre o homem e a natureza e as conseqüências psicológicas dessas formas de atividade.
• A natureza das relações entre o uso de instrumento e desenvolvimento da linguagem.
O estudo do desenvolvimento infantil começou a ser feita por comparação à botânica, associado à maturação do organismo como um todo. Como maturação por si só, é um fator secundário e não explica o desenvolvimento de formas mais complexas do comportamento humano, a psicologia moderna passou a estudar a criança a partir dos modelos zoológicos, isto é, da experimentação animal.
Segundo Vygotsky, o momento de maior significado no curso do desenvolvimento intelectual, que dá origem às formas puramente humanas de inteligência prática e abstrata, acontece quando a fala e a atividade prática estão juntas.
A criança, antes de controlar o próprio comportamento, começa a controlar o ambiente com a ajuda da fala, produzindo novas relações com o ambiente, além de uma nova organização do próprio ambiente. A criação dessas formas caracteristicamente humanas de comportamento produz o intelecto, e constitui a base do trabalho produtivo: à forma especificamente humana do uso de instrumento.
Experiências feitas por Vygotsky concluíram que a fala da criança é tão importante quanto a ação para atingir um objetivo. Sua fala e ação fazem parte de uma mesma função psicológica complexa, dirigida para a solução do problema em questão.
Conclui-se também que quanto mais complexa a ação exigida pela situação e menos direta a solução, maior a importância que a fala adquire na operação como um todo.
“Essas observações, me levam a concluir que as crianças resolvem suas tarefas práticas com a ajuda da fala, assim como dos olhos e das mãos”. (Vygotsky)
A criança quando se confronta com um problema mais complicado, apresenta ótima variedade complexa de respostas que incluem tentativas diretas de atingir o objetivo, uso de instrumentos, fala dirigidas as pessoas ou que simplesmente acompanha a ação e apelos verbais direto ao objeto de atenção. O desenvolvimento da percepção e da atenção, o uso de instrumentos e da fala afeta várias funções psicológicas:
 Operações sensório-motoras e atenção – cada uma das quais é parte de um sistema dinâmico de comportamento.
Para o desenvolvimento da criança principalmente na primeira infância, o que se reveste de importância primordial são as interações com os adultos (assimétricas), portadores de todas as mensagens de cultura. Nessa interação o papel essencial corresponde aos diferentes sistemas semióticos seguida de uma função individual: começam a ser utilizado como instrumentos de organização e de controle do comportamento individual.
A abordagem dialética, admitindo a influência da natureza sobre o homem, afirma que o homem, por sua vez, age sobre a natureza e cria, através das mudanças por ele provocadas, novas condições naturais para a sua existência. Essa posição representa o elemento-chave da abordagem de estudo e interpretação das funções psicológicas superiores FPS, do homem e serve como base dos novos métodos de experimentação e análise.
Com relação à interação entre aprendizado e ensino – O aprendizado é considerado um processo puramente externo que não esta envolvido ativamente no desenvolvimento, simplesmente se utilizará dos avanços do desenvolvimento ao invés de fornecer um impulso para modificar seu curso.
Para Vygotsky não existe melhor maneira de descrever a educação do que considerá-la como a organização dos hábitos de conduta e tendências comportamentais adquiridos. O aprendizado não altera nossa capacidade global de focalizar a atenção, ao invés disso, desenvolve várias capacidades de focalizar a atenção sobre várias coisas.
Numa abordagem sobre a zona de desenvolvimento proximal, o ponto de partida da discussão é o fato de que o aprendizado das crianças começa muito antes delas freqüentam a escola.
A zona de desenvolvimento proximal é resumidamente à distância entre o nível de desenvolvimento real, que se costuma determinar através da solução independe de problemas e o nível de desenvolvimento potencial, determinado através da solução de problemas sob orientação de um adulto.
O brinquedo tem um papel marcante para desenvolvimento, o brinquedo não é uma atividade pura e simples de prazer a uma criança, pois há outras atividades que dão mais prazer, como o habito de chupar chupeta, em relação aos jogos que marcam a perda e ganho com freqüência e é acompanhado pelo desprazer da perda. A criança em idade pé-escolar envolve-se num mundo ilusório para resolver suas questões e considera essencial e reconhece a enorme influência do brinquedo no desenvolvimento da criança.
O brinquedo não é o aspecto predominante da infância, mas um fator muito importante do desenvolvimento, demonstra o significado da mudança que ocorre no desenvolvimento do próprio brinquedo, de uma predominância de situações imaginárias para as predominâncias de regras e mostra as transformações internas das crianças que surgem em conseqüência do brinquedo.

13 comentários:

  1. oi preciso do resumo de alguns livros se puderem me ajudar fico agradecida. Meu email hagarpereirademoraes@yahoo.com.br segue os nomes dos livros abaixo:

    1. ALARCÃO, Isabel. Professores reflexivos em uma escola reflexiva. São
    Paulo: Cortez, 2003. Capítulos 1, 2 e 4;
    2. CALHAU, Lélio Braga - Bullying – o que Você Precisa Saber - 2ª Ed. - Editora
    Impetus –SP – 2010;
    3. CANDAU, Vera Maria. Direitos humanos, violência e cotidiano escolar. In:
    CANDAU, Vera Maria (Org.). Reinventar a escola. Petrópolis: Vozes, 2001.
    p. 137-166;
    4. CASTORINA, Antonio José; FERREIRO, Emilia; LERNER, Delia e OLIVEIRA, Marta
    Kohl de. Piaget-Vygotsky: novas contribuições para o debate. São Paulo:
    Ática, 1997;
    5. COLL, César. Aprendizagem escolar e construção do conhecimento. Porto
    Alegre: Artmed, 1994;
    6. DELORS, Jacques. Educação: Um tesouro a descobrir. UNESCO, MEC. São Paulo.
    Ed. Cortes, 1999;Prefeitura Municipal de Votorantim
    “Capital do Cimento”
    Estado de São Paulo
    18
    7. ELIAS, Marisa Del Cioppo. De Emílio à Emília: a trajetória da
    alfabetização. Série Pensamento e Ação no magistério. São Paulo: Scipione,
    2000;
    8. FRANCO, Creso; FERNANDES, Cláudia e BONAMINO, Alícia. Avaliação na escola
    e avaliação da educação: possibilidades e desafios. In CANDAU, Vera Maria
    (Org.). Reinventar a escola. Petrópolis: Vozes, 2001. p. 167-188;
    9. HOFFMANN, Jussara. Avaliar para promover: as setas do caminho. Porto
    Alegre: Mediação, 2004;
    10. KAMII, Constance. A criança e o número. Papirus;
    11. MACEDO, Lino de. Ensaios pedagógicos: como construir uma escola para
    todos? Porto Alegre: Artmed, 2005;
    12. MANTOAN, Maria Teresa Egler – A integração da pessoa com
    deficiência:contribuições para uma reflexão sobre o tema. Editora Memnon,
    1997;
    13. PERRENOUD, Phillipe. Dez novas competências para ensinar. Porto Alegre:
    Artmed, 2000. Capítulos 1 a 5;
    14. RIOS, Terezinha Azeredo. Compreender e ensinar: por uma docência da melhor
    qualidade. São Paulo: Cortez, 2001;
    15. THURLER, Mônica Gather. O desenvolvimento profissional dos professores:
    novos paradigmas, novas práticas. In: As competências para ensinar no
    século XXI: a formação dos professores e o desafio da avaliação. Porto
    Alegre: Artmed, 2002;
    16. KRAMER, Sônia “Com a pré-escola nas mãos - Uma alternativa curricular para
    a Educação Infantil“ – São Paulo: Ática, 2001;
    17. WEISZ, Telma. O Diálogo entre o Ensino e a Aprendizagem. São Paulo: Ática,
    1999;
    18. BRASIL – SECRETARIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA – Parâmetro Curricular Nacional 1ª
    a 4ª séries- vol. 1 ao 10;
    19. BRASIL – SECRETARIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA – Referencial Curricular Nacional –
    Vol. 01 ao 03 - Educação Infantil.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se você pede tudo isso de resumo como "favor", tá fazendo faculdade pra quê? Eita, preguiça!!!!

      Excluir
  2. Boa Tarde !!!

    Estava pesquisando o dia inteiro na internet diversos trabalhos que tenho a fazer, quando derrepente encontrei seu Blog.
    Faço pedagogia estou no segundo semestre e cada vez mais perdida. Me ajuda por favor , tenho vários seminários para fazer e não estou conseguindo resumir algums livros.
    1ºDarcy Ribeiro/candido alberto Gomes fundação joaquim nabuco editora MASSANGANA.

    Se puder me ajudar com este ja ficarei muito grata. Te peço também que me fale um pouco sobre vygotsk e piaget...preciso fazer uma comparação dos dois e dizer o que cada um contribui para a educação. Terei que fazer um seminário....
    Muito obrigada caso me ajude e se não puder eu vou me virar de algum jeito...mas mesmo assim agradeço pelo conteúdo vasto do seu blog...ele me foi muito útil. Beijos Beth

    ResponderExcluir
  3. Boa tarde!!!

    Obrigada pelo seus gesto de nobreza. Muitos guardam o conhecimento só para si. Poucos socializam seus conhecimentos para que eles possam novamente ser reconstruídos. Você é uma raridade.

    Um abraço

    ResponderExcluir
  4. VC é perfeita é surpreendente que exemplo a ser seguido me apaixonei por vc por seu amor pela didatica de ensinar e aprender bjo fica com DEUS!

    ResponderExcluir
  5. Ol�,
    Gostaria que vc indicasse um livro a respeito de arte, sobre a pratica escolar envolvendo a arte contemporanea. Estou lendo Teoria e pratica do ensino de arte da Mirian, Gisa. Gostaria de outros.

    obrigada e Feliz 2013

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ola Bernadete, as apostilas que a rede do Estado de São Paulo usa, usamos muito sobre Arte Contemporânea. se você colocar no lidialindislay2.blogspot.com há alguma coisa, que é a teoria que trabalho com eles.

      Excluir
  6. Professora Lídia preciso de conteúdos da autora Vera Maria Candau, Magistério: Construção Cotidiana.
    Meu email é adrianazuchelli@yahoo.com.br
    Por favor me ajude.
    Obrigada.

    ResponderExcluir
  7. Que visita valiosa! Obrigada.
    Meu carinho e respeito, abraços.

    ResponderExcluir
  8. olá prof. Lidia estou estudando para concurso e gostaria de saber se vc tem o resumo de Lino de Macedo, ensaios constritivistas...por falta de tempo não vou conseguir ler esse livro, se vc puder me enviar esse resumo ficarei muito grata!
    meu e-mail é vanessa_rp1@yahoo.com.br

    ResponderExcluir
  9. Parabéns pelo empenho e dedicação, assim demonstra o amor que tens pelo o que faz... Abraços!!!

    ResponderExcluir